12 junho 2013

Na minha opinião: Aborto

Todo mundo já deve estar super cansado de ouvir falar deste assunto, que está em alta; as mulheres querem ter direito sobre o próprio corpo e tudo o mais. Mas o que quero dizer hoje é um pouco diferente do que vi por aí, e não, não tem nada a ver com religião desta vez.

Tudo começou quando li um texto, emocionante, diga-se de passagem, de uma jovem que era fruto de um estupro. Até aquele momento eu não sabia o que pensar em relação ao aborto nesses casos, porque já ouvi a história e conheço duas mulheres que passaram por este terror. É muito triste, muito mesmo.
No início do texto dela eu era contra o aborto, na metade, eu era a favor, no final fui contra de novo (quero deixar claro que era sobre aborto por causa de estupro). Mas depois parei e pensei numa possibilidade alarmante em relação a essa prática e agora sei, com certeza, que eu não posso ser a favor disso. Explico o porquê.

Na minha adolescência era comum ouvirmos histórias de casais de namorados em que a menina engravidava. O que se fazia? 
a) O cara dava no pé e deixava a menina se virar
b) O cara casava com a menina, mesmo sendo tão jovens
c) Ela abortava

E foi isso o que me preocupou. No mundo inteiro os adolescentes vivem como adultos; trocando de namorados, tendo relações íntimas com mais de uma pessoa, etc etc etc. E por não terem maturidade, condições financeiras, até mesmo condições psicológicas para cuidarem de uma criança, fruto de uma relação irresponsável e com o mínimo de comprometimento mútuo, optam pelo mais fácil: o aborto.
Aí tem gente que vai dizer "Mas colocar filho no mundo pra sofrer?", "Fazer filho e depois deixar pros pais cuidarem?", e muitos outros argumentos.
Eu acho que se fez o que não devia, agora é preciso arcar com as consequências. 

Filhos não são fardos, e quando vêm na hora certa, então?! Bênção pura! São seres maravilhosos que enchem a vida da gente de amor. Maaas, quando a gravidez não é desejada, quando não se tem o mínimo de estrutura, quando não se sabe se o cara um dia pode ser o pai de seus filhos, o que se deve fazer? Não fazer sexo. 

Hoje existem um zilhão de métodos contraceptivos, mas você acha que esses meninos e meninas usam isso? Alguns pais nem sabem que os filhos não são mais virgens, outros acham que eles nem têm namorado (a), e têm uns que ainda acham que seus filhos não sabem de nada sobre essas coisas. 

Meu medo é que com essa legalização do aborto muitos bebês inocentes morram à toa. Medo de que meninos e meninas façam o que não devem, e depois para esconder, abortem uma vida, que nem teve culpa de nada. 

A gente pode estar querendo cuidar de mulheres que estão sendo violadas brutalmente, mas assim também vamos abrir espaço para aquelas que não querem assumir responsabilidades mas que querem continuar praticando sexo sem nenhuma preocupação.





2 comentários:

  1. Na minha opinião, não abortaria nem se fosse caso de estupro e pra falar nem se fosse caso também de bebê anencefálico, apesar de saber que existe um sofrimento brutal, acredito que se foi para acontecer independente de qualquer coisa a criança não tem culpa... Agora quando envolve a saúde da mãe, tipo aquela gravidez que tem de ser interrompida de qualquer jeito que a mãe morre no parto, bem.. eu não tenho uma opinião formada sobre isso...

    ResponderExcluir
  2. Olá amei seu blog !
    e vim aqui apresentar-lhe o meu que também é gospel porem para adolescentes e mulheres evangélicas

    www.fernandacarrdozo.blogspot.com

    Já estou te seguindo !
    Te Espero Lá !

    ResponderExcluir

Faça a gente ficar feliz, deixe seu recado (:

Obs: Se tiver problemas para postar recados, clique em "visualizar" depois de escrever sua mensagem, e então clique em "postar".