26 maio 2013

O que é essa tal liberdade?

Liberdade... dizem que somos livres, mas que espécie de liberdade têmos? A liberdade de ir e vir? 

Eu sinceramente não consigo visualizar que espécie de liberdade dizem que têmos, porque vejo todos os dias idosos nos ônibus, nas casas e hospitais querendo um pouco de atenção e não conseguem, não é que haja algum preconceito ou algo parecido, não acredito que seja isso, mas simplesmente nós têmos medo de dar como minha mãe me dizia " liberdade para pessoas", estamos preenchidos de medo de assaltantes, empregos e estudos que nos enchem de horários apertados, que não podemos nos dar "o luxo" de parar e conhecer uma nova pessoa ou talvez medo de também de se decepcionar com os outros, porque conhecer, gostar ou até mesmo amar, exige de nós prontidão e coragem também para nos decepcionar, porque como sempre me disseram "você só se decepciona, com quem você ama."

Então que é essa tal liberdade, se vivemos presos em nós mesmos (em nossos traumas do passado), em nossos horários apertados, em nossos objetivos pessoais, em nossas vidas monótonas (onde você só conhece as pessoas que envolvem suas rotinas), em nossas máscaras sociais com medo do que as outras pessoas pensarão de nós, em nossos meios tecnólogicos, enfim, não têmos coragem de viver, apenas sobrevivemos em nossa mesquinhez de felicidade, com medo de sermos assaltados, ignorados, mal respondidos, decepcionados e desafiados a sermos diferentes. 

E diferente, não é apenas o ruim, como muitos pensam, diferente é também viver bem em sua diferença pessoal, ser autêntico. Então, eu repito que espécie de liberdade vivemos? De matéria física (material), pode ser, mas a psíquica, como vai? Porque se existem tantos medos, como é que a liberdade se impõe? 

Acho que a única vez na vida que realmente pudemos ser  livres foi na infância, a partir da adolescência tudo nos complicamos. Na infância, você dizia o que  era certo, a verdade e ninguém da sua idade te julgava por isso, você falava o que dava na cabeça e conversava com qualquer um. Deve ser por este motivo, que a maioria de nossos amigos são feitos nessa época, nós eramos mais livres e mais abertos, sem cargas de arrependimentos e nem indagações. 

Quanto mais passa o tempo mais díficil fica fazermos amizades realmente sinceras e profundas, a maioria são superficiais e sem fortes emoções, até porque nós não nos damos liberdade o suficiente para isso, porque se decepcionamos com "fulano". E se com o outro for igual?

Eu vejo todos os dias pessoas sozinhas pedindo atenção, principalmente idosos, que aparentemente parecem ser mais vulneráveis a solidão, porque os filhos os ignoram ou simplesmente seguem sua vida e assim eles percorrem a cidade e imploram um pouquinho de atenção.

Por este motivo, eu te desafio: Tente dar maior liberdade a si mesmo e aos outros. Permita-se, conhecer, fazer novas amizades, amar e até quebrar a cara de novo se não tiver certeza de que não vai dar certo. 

Será que se alguém agora, principalmente um senhor ou senhora te pedir uma informação, uma ajuda ou até mesmo um segundo de uma boa conversa você vai pensar e parar um pouquinho do seu tempo para deixar o seu medo de lado e fazer um pouquinho alguém mais feliz?

Obs.: A mensagem da imagem não coloquei o nome do autor, porque não sei quem é. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça a gente ficar feliz, deixe seu recado (:

Obs: Se tiver problemas para postar recados, clique em "visualizar" depois de escrever sua mensagem, e então clique em "postar".