14 junho 2012

Conto Cavalheiro na chuva




                É meia-noite. A colina toda escura, esconde as curvas da estrada onde apenas 
      se vê a silhueta das árvores e a cabeça da colina.
              O céu já escuro, fica ainda mais escuro com seus raios de luz, faíscas
      que em alguns segundos iluminam a noite.
               Começo a cair, devagarzinho, me desprendo das nuvens.
      Aos poucos vou aumentando a intensidade em milhões de gotas molhando a terra,
      escorrendo pelas encostas, gotejando nas folhas verdes que balançam conforme o vento.
                Mas, algo me chama a atenção. Lá no fim da curva, um vulto preto
      se confunde com a escuridão.
                Escorro pelas suas vestes, toda preta, vejo um rosto cabisbaixo,s em
     se importar comigo molhando todo o seu ser.
                 Vejo os olhos com lágrimas que se confunde com as minhas gotas.
                  Só escuto poucas palavras, em baixo tom, falando consigo mesmo
    ou com Deus. Apenas ouço frases incompletas.
                   “ Porque ela ....”
                   “ O que vai ser ...”
                   “ Oh, Deus,traga ela de volta,”  
Heitor Tiegs


OBS: É meu pai que escreveu ;-)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça a gente ficar feliz, deixe seu recado (:

Obs: Se tiver problemas para postar recados, clique em "visualizar" depois de escrever sua mensagem, e então clique em "postar".