02 março 2013

'E se..?' - Cartas para Julieta.








Querida Claire,
‘E’ e ‘se’ são palavras que, por si, não apresentam nenhuma ameaça. Mas, se colocadas juntas, lado a lado, elas têm o poder de nos assombrar a vida toda. E se..? E se…? E se…?
Eu não sei como a sua história terminou, mas se o que você sentia naquela época era verdadeiro amor, então nunca é tarde demais. Se era verdadeiro então, por que não seria agora? Você só precisa de coragem para seguir seu coração.
É difícil imaginar um amor como o de Julieta, um amor que nos faça abandonar entes queridos, que nos faça cruzar oceanos. Mas eu gostaria de acreditar que se eu um dia sentir esse amor, terei coragem de perseguí-lo. E, Claire, se não o fez naquela época, espero que ainda o faça um dia. Com todo amor, Julieta."

Sophie (Amanda Seyfried) é uma aspirante a escritora que viaja para a Itália ao lado do noivo Victor (Gael García Bernal), que sonha em ter seu próprio restaurante. Em Verona, onde se passou a história de Romeu e Julieta, local perfeito para uma lua de mel antecipada, Sophie acaba percebendo que seu noivo está mais interessado nos fornecedores para seu restaurante do que nela. Na cidade descobre uma antiga carta de amor e junta-se a um grupo de voluntárias que responde estas missivas amorosas. Para sua surpresa, a remetente Claire Smith (Vanessa Redgrave) ouve o conselho dado na resposta e vai procurar Lorenzo, por quem se apaixonou na juventude. Mas existem muitos italianos com o mesmo nome e Sophie demonstra interesse em ajudá-la na tarefa, desagradando o neto Charlie (Christopher Egan), que já tinha reprovado essa louca aventura da avó viúva.
"- Pena que agora é tarde
 - Não. Quando falamos de amor, nunca é tarde."

''Presta atenção, presta atenção, presta bastante atenção..
Eu moro em Londres, uma cidade histórica, linda e vibrante na qual eu amo viver. Você mora em New York, que é super estimada.
Como o atlântico é largo demais para atravessar todos os dias a nado, de barco ou de avião, vamos decidir isso na moeda. Mas se você não quiser aceitar isso, eu deixo Londres com todo prazer se você estiver me esperando do outro lado, porque a verdade é que eu te amo.. loucamente, profundamente, verdadeiramente e apaixonadamente.''


" E porque me sinto como um estudante num domingo? Já é quase de manhã e não quero ir."

“- Já se passaram 50 anos. É tarde demais.

- Para o amor, nunca é tarde demais! “


Críticas do Filme:

Omelete

A comédia romântica não é um gênero marcado por inovações - ao contrário: normalmente repete a fórmula "boy meets girl", o famoso "menino conhece menina". Às vezes, no entanto, o gênero produz ótimos filmes, apostando na ideia de que o essencial não é o que acontece no final, mas como os personagens chegaram até lá.

Cartas para Julieta (Letters to Juliet, 2010) segue essa linha e sua premissa traz elementos que poderiam render um bom romance. Sophia, uma estadunidense que vai passar férias com seu noivo em Verona, a charmosa cidade italiana que serviu de cenário para a célebre história de amor de Romeu e Julieta. Ao visitar a casa de Julieta, um dos pontos turísticos da cidade, Sophia se depara com uma parede cheia de cartas, em que mulheres apaixonadas pedem a Julieta que as ajude com seus problemas no amor. Ela então descobre que, diariamente, as cartas são recolhidas e respondidas por um grupo de voluntárias. Sophia passa a ajudá-las e acaba encontrando uma carta datada de 1957, escrita por uma inglesa que se apaixonou por um italiano em sua juventude, mas deixou escapar a oportunidade de ficar com ele. Ela então decide responder a carta de meio século, promovendo o amor verdadeiro. Empolgada com o conselho da carta, Claire Smith - hoje uma senhora - retorna à Itália para encontrar a paixão de sua adolescência e assim Sophia, Claire e seu neto Charlie embarcam em uma viagem para procurar o tal Lorenzo Bartolini. Nesse momento, a comédia romântica ganha ares de road movie, mostrando bonitas paisagens da Toscana.

Mesmo que minimamente interessante, o roteiro de José Rivera (Diários de Motocicleta) e Tim Sullivan peca pela previsibilidade excessiva. O começo do filme já mostra todos os elementos que serão resolvidos no desfecho - se a protagonista sonha em ser promovida de checadora de fatos à repórter da revista The New Yorker, o que será que vai acontecer? Essa previsibilidade é acentuada pela direção de atores. Enquanto Seyfried e Redgrave convencem em seus papéis, parece que o diretor Gary Winick (De repente 30) deixou de lado o elenco masculino. A atuação de Christopher Egan é sofrível e até Gael García Bernal, normalmente um excelente ator, atua no automático e deixa claro em seus primeiros minutos de tela o destino de seu personagem. [..]


Cine Click:
Como o forte de Winick não é a reflexão, mas sim a emoção, o filme protagonizado por Amanda Seyfried, apresenta o amor como um higienizador de todos os problemas do mundo. [..]
Se você estiver em um dia tolerante, de bom humor e pronto para um mundo no qual tristeza não tem vez, Cartas Para Julieta pode ficar bem melhor do que ele é. Isso porque Winick fica na fronteira entre derrubar o pote de mel sobre sua história ou adicionar doses pontuais de doçura no filme.
Na maioria do tempo, consegue se controlar, afastando a câmera nos momentos necessários, mantendo o respeito aos personagens. Pesam a seu favor um argumento interessante, locações paradisíacas e a participação de dois monstros do cinema, Vanessa Redgrave (ainda deslumbrante aos 73 anos) e Franco Nero, o astro dos western spaghetti (e extremamente charmoso com 68 anos).
Cartas Para Julieta é uma jornada de descobrimento para todos os personagens. A começar por Sophie, que trabalha apurando fatos, mas almeja tornar-se uma jornalista da revista The New Yorker. Ela viaja para Verona em Lua de Mel com Victor e, inesperadamente, conhece a Casa de Julieta: mulheres de todo o mundo vão para lá depositar bilhetes sobre o amor (seja a presença ou a falta dele). Quem responde as cartas são as Secretárias de Julieta.
Sophie precisa da viagem para entender se o amor está realmente no seu coração. Victor, por sua vez, tem várias descobertas profissionais. Charlie precisa provar que não tem uma pedra em vez de um coração. Do outro lado, Claire e Lorenzo buscam recuperar o passado.
Cada um com seu objetivo, todos envolvidos direta ou indiretamente nos paraísos da região de Toscana, como Siena e Florença.
Como toda comédia romântica padrão, tudo acaba bem para todo mundo – até mesmo para os que ficam sós. Os méritos de Cartas Para Julieta estão muito antes do final. Eliminando o desfecho esperado, o filme de Winick distribui um astral boa-vida sem derrubar um pote de mel.

Trailer

2 comentários:

  1. Ahh não para! é lindo deeemais, e fofooo! só faltava ele terminar com a música da Taylor! que eu amo. Eu PRECISO VER esse filme!!!

    ResponderExcluir
  2. Minha irmã já viu o filme e adorou, falta eu assistir tbm! o/

    ResponderExcluir

Faça a gente ficar feliz, deixe seu recado (:

Obs: Se tiver problemas para postar recados, clique em "visualizar" depois de escrever sua mensagem, e então clique em "postar".