12 outubro 2011

- Na minha opinião - Relacionamentos




Uma vez meu melhor amigo, o Samuel que de vez em quando escrevia pro blog, me contou sobre a atitude de uma amiga dele. Ele disse algo mais ou menos assim:
"...ela não deixa você se apaixonar por ela. Se ela é sua amiga, é SÓ sua amiga. Não permite que passe disso, porque não quer ver você sofrer."
Isso me fez pensar. Quantas vezes a gente faz uma pessoa se interessar por nós, sendo que nós mesmos não queremos nada com aquela pessoa? Mas nos dá prazer saber que alguém morre de amores pela gente, não é?  Brincar com os sentimentos do outros é até legal, mas e quando brincam com os nossos?... Que egoísmo de nossa parte!

Resolvi escrever este post sobre relacionamentos porque estou passando por uma fase de espera e queria compartilhar com vocês.

O começo do post diz respeito a uma atitude nossa que parece mais com uma “brincadeira sem graça”, e que tem feito muitos corações em pedaços por aí. Eu olho em volta e vejo diversos amigos meus com os sentimentos machucados. Alguns agora trocam de namorada como trocam de roupa. Outros não acreditam mais no amor. Não sonham mais em casar-se. E tem uns e outros que se apaixonam e desapaixonam com a maior velocidade do mundo.
Na minha época (falou a velha rsrs) eu era acostumava a ter amores platônicos. Como eu lidava bem com isso, no sentido de só ficar admirando a pessoa e não passar disso, não cheguei a me machucar, mas sei de histórias de gente que chorava o tempo inteiro, que não comia direito, que ficou deprimida por causa de amor não correspondido. Às vezes acho isso um exagero, mas só quem sente dor de amor é que sabe o quanto dói.

Essa cultura de “usar pessoas e amar coisas” tem acabado com a vida de muita gente. A cada década que passa o índice de divórcios têm aumentado. O amor entre as pessoas têm esfriado. O “compromisso” não está passando mais de um status na rede social e um anel de prata no dedo, coisa que não garante o mínimo de fidelidade entre o casal. Sem falar que a confiança acabou.



Quando eu era adolescente não entendia como do nada (quando digo "do nada" é do nada mesmo) as pessoas apareciam com namorados. Eu acredito que era só baterem os olhos e acharem interessante, para daí conversarem durante duas semanas e na terceira já estarem andando por aí de mãozinhas dadas e trocando beijinhos. Aí me contavam do tal "amor à primeira vista" para justificar e ficava tudo certo. 
Para mim era tudo errado. "Como você pode namorar alguém que mal conhece?" era meu questionamento. Hoje meu questionamento é "Como você pode conhecer em duas semanas uma pessoa que tem vinte anos de existência? Você não vai conhecer nem 10% do que ela realmente é!". 
Atualmente as coisas não mudaram tanto. As pessoas continuam entrando em relacionamentos rapidamente e quebrando a cara diversas vezes. Ou pior, seguram as pontas até o casamento, e quando chegam no “Enfim casados” percebem que foi um erro ter escolhido aquela pessoa, e descobrem, assombrados, que ela não tem NADA a ver com você.

Então, como encontrar a “metade da laranja”, a “tampa da panela” ou, como eu prefiro chamar, o “príncipe encantado”? Há diversas formas de se fazer isso, mas nem todas são seguras e, aquelas que têm bons resultados e que são comprovadas por pessoas que experimentaram isso, não são nadinha fáceis de fazer.

Vou apontar duas, uma que não é segura e uma que é difícil:

1)“Enquanto não acho o certo, me divirto com os errados”

Costumo achar essa frase estampada em camisas, que vendem aqui na minha cidade, para turistas. Bem “pra frente” essa frase rsrs Mas é a realidade de muita gente.
Como explicado lá no começo, isso não é uma atitude louvável. Brincar com os sentimentos dos outros pode deixar cicatrizes que elas carregarão durante a vida toda. Ao se envolver com alguém você está marcando essa pessoa. Ela se lembrará dos momentos bons, dos ruins, ou de algum limite que você avançou com ela.

As pessoas que optam por essa atitude irresponsável, muitas das vezes, são as que já foram machucadas por alguém. Ou aquelas que acham que a vida é curta demais para não aproveitar... Doce ilusão. Não digo isso nem por causa da vida eterna, mas porque o sentimento de arrependimento, de “voltar atrás e fazer diferente” é terrível, é perturbador. Então pode ser que você esteja se divertindo agora, mas daqui uns anos aquilo tudo o que você fez de errado pode voltar como uma avalanche na sua consciência e te fazer muito, muito mal. Por isso, cuidado!

Sem falar que “se divertir com os errados” pode ter seu outro lado... Será que o “errado” não é você, e seu companheiro é que está se divertindo?
Não é assim que você pretende arranjar a sua “cara metade”, né?

No próximo post falo sobre a segunda forma de encontrar seu “príncipe encantado”.

Até mais.

Para pensar: “Lembre-se dos três "erres": Respeito por si próprio, Respeito ao próximo e Responsabilidade pelas ações.” Dalai Lama.




3 comentários:

  1. Nossa...falou tudoo...tbm acho q é super errado brincar com os sentimento dos outros...eu estava até conversando com uma pessoa sobre isso..veio na hr certa pra confirmar...
    Parabéns pelo Blog...q o SENHOR te abençoe!!!

    ResponderExcluir
  2. Pior que hj em dia a coisa ta desse jeito msm, eu graças a Deus nunca fiz isso, mas agora eu me pergunto quantos já fizeram isso, quantos já magoaram corações, sinceramente é triste ver isso, mas o q a gente pode fazer pq a gente pode até falar sobre isso mas muitos não darão ouvidos só quando quebrarem a cara.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Ótimoooo... Priii vc será muito honrada por Deus... tenho convição,
    vc foi abençoada com uma Graça e sabedoria tremenda!!!
    quisera eu ter pensamentos assim qndo mais jovem, ñ que tenha feito a escolha errada, pq sou feliz em meu casamento, Deus me deu um esposo maravilhoso, por sua imensa misericórdia, mas qndo eu tinha 15 anos, tive um namorado o qual namorei por 2 anos aproximadamente, e estou certa que feri os sentimentos dele, depois de um longo tempo... casada já, comecei a refletir, e veio sobre mim um sentimento terrível, peso na consciência, se pudesse voltar atrás teria esperado, ñ teria namorado com ele, mas sei lá... infelizmente tem muitas meninas, como fui um dia, imatura... não dá ouvidos até mesmo aos conselhos da mãe... do pai... e passa a entender as vezes tarde de mais que nossa vida é de Deus, e que existe um plano perfeito pra cada um de nós traçado por Ele, basta apenas estarmos no centro da Sua vontade. E o único fator que faz com que ñ busquemos a vontade de Deus... é o medo da Sua resposta, medo de saber que aquilo que mais queremos... ñ é a vontade de Deus... por mais difícil que seja entender, Deus é o único que conhece o nosso futuro e que é melhor pra cada um de nós!
    B-jùuu *-*

    ResponderExcluir

Faça a gente ficar feliz, deixe seu recado (:

Obs: Se tiver problemas para postar recados, clique em "visualizar" depois de escrever sua mensagem, e então clique em "postar".