13 maio 2012

Aprender outra língua aumenta a potência cerebral

 

Numa pesquisa, o tronco cerebral reagiu mais no caso de estudantes capazes de falar duas línguas. Segundo os pesquisadores, aprender um segundo idioma aumenta o poder do cérebro.

Cientistas da Northwestern University, nos Estados Unidos, afirmam que falar mais de uma língua é uma forma de treinamento do cérebro, uma “ginástica” mental que desenvolve a mente. Falar, pelo menos duas línguas, afeta profunda e positivamente o cérebro e muda a forma como o sistema nervoso reage ao som, segundo revelaram os testes de laboratório. 

Especialistas dizem que o estudo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences fornece evidências biológicas para isso. A equipe de pesquisadores monitorou as respostas do cérebro a sons diferentes de 48 estudantes voluntários – 23 dos quais bilingues. Sob condições laboratoriais silenciosas, os dois grupos – o bilingue e o de alunos que somente falavam inglês – responderam da mesma forma. Mas em um contexto de conversa barulhenta, o grupo bilingue foi muito superior em processar os sons. Eles eram mais capazes de sintonizar informações importantes – a voz do orador – e bloquear outros ruídos que distraem – as conversas de fundo.
Poderoso benefício

Parece que os benefícios do bilinguismo são particularmente poderosos, amplos e incluem a atenção, seleção e codificação de som”. Pesquisas anteriores também sugerem que ser bilingue pode ajudar a afastar a demência.


O cérebro ainda é um grande mistério e sempre surpreende os cientistas que dizem que uma pessoa comum usa somente 3% da sua capacidade cerebral. Alguns gênios, como Einstein, alcançavam cerca de 10%. Mas, mesmo usando apenas 3% de sua capacidade cerebral – um pouco mais, um pouco menos – o ser humano pode exercitar o cérebro e melhorar a sua capacidade. Para isso, deverá conhecer e aprender coisas novas, quebrar rotinas e mudar hábitos. Estudos da neurociência (a ciência que estuda e mapeia o cérebro) mostram que o cérebro tem uma capacidade enorme de se adaptar e mudar a configuração das suas conexões e o exercício vai mantê-lo ágil e saudável, porque faz o cérebro sair do ócio e se esforçar mais.

Exercícios para o cérebro

Use o mouse ou escove os dentes com a mão contrária (esquerda, se você é destro, e direita, se é canhoto).Essa é uma maneira simples de quebrar a rotina e também é uma excelente maneira de melhorar a coordenação motora, a concentração e até a criatividade.

Escreva com a mão que não é a que você normalmente usa. Isto resultará em novas ligações que estarão sendo criadas entre seus neurônios, aumentando dessa forma o número de caminhos para o fluxo de informação.










Leia bastante. A leitura ajuda a exercitar diversas regiões cerebrais e, além de adquirir novas informações, a pessoa estará estimulando as áreas visual e verbal.



 





Mude de roupa com os olhos fechados. Isso ajuda o cérebro a exercitar a capacidade de definição de tempo e espaço.



 



Use o relógio de pulso no braço contrário ao que sempre usa.



 



Experimente alimentos diferentes para estimular o paladar. Mas não precisa ser TÂO radical…




 



Converse muito com pessoas diferentes. Mas de preferência com pessoas reais…




 




Veja fotos de outros ângulos. De cabeça para baixo, por exemplo.





 






Mude de caminhos para ir aos lugares. Só tenha cuidado para não se perder…





 


Experimente andar de trás para frente em sua casa. Mas se cuide, pra não cair de costas…










Faça um curso de dança ou de uma língua estrangeira. Se preferir a dança, escolha algo mais light do que o frevo e, se achar melhor um idioma estrangeiro, não exagere: chinês é barra pesada…



 


A maioria dos brasileiros ainda não domina o inglês, uma língua falada no mundo todo e que, hoje, é um requisito básico para se conseguir um bom emprego. Dados mostram que somente 24,5% dos brasileiros falam fluentemente o inglês, ou, pelo menos, num nível considerado razoável.

Está na hora de mudar esses números , não só porque pode ajudar a conquistar melhores posições no mercado de trabalho, mas porque falar uma segunda língua melhora o sistema auditivo e, consequentemente, a atenção e a memória. Além desses benefícios, outros estudos mostram uma segunda vantagem do bilinguismo: cérebros bilíngues são mais protegidos contra o mal de Alzheimer. Finalmente, inúmeras pesquisas deixam claro que idade não é desculpa para deixar de aprender uma segunda língua. So,let’s go!


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça a gente ficar feliz, deixe seu recado (:

Obs: Se tiver problemas para postar recados, clique em "visualizar" depois de escrever sua mensagem, e então clique em "postar".