22 agosto 2011

Programas de auditório

Estava querendo escrever sobre este assunto há muito tempo, mas hoje acordei revoltada, então vamos lá.
Já ouviu alguém dizer "A tv aberta do Brasil é um lixo!"? Pois é! Muitas vezes eu penso assim também. Mas o que mais me dá raiva são os programas de auditório. Nossa mãe, não consigo ficar nem cinco minutos parada assistindo aquilo (os que passam à noite, porque os de tarde até que vai).

Acho que programa de televisão deve ter como objetivo entreter, ensinar, fazer dar risada, fazer a gente pensar, dar notícias e etc (não precisa ter isso tudo num só programa, estou dizendo que é uma das linhas que ele pode seguir). Mas tem muito programa que usa um "método" pra ganhar audiência (masculina, pelo menos), e esse método é nada mais, nada menos que... MULHERES.

1 minuto de silêncio fúnebre.


As mulheres antigamente (muuito antigamente) eram só para terem filhos. Depois (os historiadores que me corrijam) passaram a cozinhar, lavar, passar, costurar, cuidar de filho, cuidar de galinha, de coelho, de porco, de marido... E então, com a Revolução Industrial, passaram a trabalhar em fábricas. Lugares asqueirosos, quentes, sujos, com um montão de gente com péssimas condições de trabalho. O serviço era de 80 horas semanais (hoje são 46h), em troca de um salário miudinho.
Depois as mulheres começaram a lutar pelos seus direitos, como o direito de não ter casamento arranjado, o voto, igualdade salarial, e por aí vai.
Chegamos ao século XXI. A mulher trabalha fora, cuida da família, estuda, tem um casamento legal onde ela também pode opinar, tem o direito de ficar solteira sem que o mundo inteiro te encha a paciência,  pode conhecer o mundo inteiro sozinha se quiser... Mas aí ligamos a TV e tomamos um banho de água fria ao ver as "peças" sendo exibidas como se fossem meros pedaços de carnes. Quando penso nisso, só lembro daquelas coxas de frango do desenho Tom & Jerry. Só. Mais pra frente explico o porquê.
Não sei se já adivinhou, mas estou falando das assistentes de palco.

Mulheres pagas para mexerem as coxas imensas (lembra da coxa de frango?), sorrirem e dançarem conforme a música, enquanto passam frio num estúdio com ar condicionado.
Mulheres que topam qualquer parada, desde serem filmadas com close up extremo na traseira ou tirarem o micro biquíni numa brincadeira idiota só para divertimento masculino.
Nessas horas não sei quem é pior, se o diretor do programa ou essas garotas que querem aparecer na TV a qualquer custo.

Não sei se compartilha do mesmo sentimento que eu, caro leitor, mas quando vejo isso me dá vergonha de ter nascido menina. Ou pior, me dá vergonha de ter nascido num país onde é divertido ver o outro se lascar, se humilhar, em troca de dinheiro. 
Mas sabe o que eu acho, sinceramente? Que programa de TV pra ser bom não precisa de apelo sexual. Não precisa de mulher de biquíni, ou saia minúscula, ou vestido colado no corpo. Não precisa de homem sem blusa, cara de tarado ou malandrão. Não precisa de linguagem imprópria. Não precisa de cenas de violência gratuita. Não precisa tirar proveito dos outros, ou rir dos outros com piadinha imbecis.
Precisa de conteúdo de verdade.

Chega de oferecer pro brasileiro os restos. Queremos cultura!
Chamam a gente de ignorante, de desinformado, mas a TV, que tem por missão nos dar informação, só nos mostra o que quer. Cadê o "do povo para o povo"? Cadê o "informação de qualidade", o "jornalismo de verdade"?
As matérias desses "programetes" são tão bobas que depois de assistir sabe o quê que você aprende? A dizer 'Ronaldo brilha muito no Corinthias'! Ah, dá um tempo! Diversão, entretenimento, nunca será isso.

Não sei se a gente encontra isso em TV por assinatura, ou se no estrangeiro os programadas de auditório são ridículos como os daqui, mas dá desânimo até de assistir TV, viu?

a gente não quer só comida
a gente quer comida, diversão e arte.

5 comentários:

  1. É, eu concordo que esses programas sejam insuportáveis. Mas - sem querer defendê-los, muito pelo contrário - eu acho que esse tipo de coisa só existe porque tem quem assista. Eu não me ofendo e nem sinto vergonha de saber que essas coisas existem, mas sim de saber que algum conhecido meu assiste isso. E não só os programas de auditório, mas várias outras coisas. Odeio reality shows com todas as minhas forças (com exceção dos musicais, esses até que passam). Não sei o que se passa na cabeça das pessoas pra assistir a essas porcarias. Também odeio Zorra Total e outros programas do gênero. Não tenho paciência pra quase nada, há anos eu não passo nem 10 minutos assistindo TV exclusivamente (a única coisa que gosto é futebol). Estou fazendo a minha parte, mas até que chega alguém da casa e liga aquela lixeira :/

    ResponderExcluir
  2. Eu não gosto de nenhum deles. Custo assistir tv mesmo.

    Beijos.
    http://luzcameraacaoecorta.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Por isso que eu não assisto tv pq é justamente isso o q eles querem, conquistar o publico masculino

    Bjss

    ResponderExcluir
  4. Apoiadíssimo! Compartilho completamente da tua indignação! É humilhante ver o conteúdo da tv aberta brasileira e saber que há pessoas que gostam. Poucos são os programas que realmente acrescentam algo. Infelizmente,este quadro é apenas um reflexo da importância delegada à educação e dos valores inseridos na sociedade brasileira: machismo, "é melhor divertir-se e esquecer os problemas do que se indignar e lutar", etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando paro para ver TV, o que não é com frequência, geralmente dou uma vasculhada nos programas educativos. Única coisa que vale a pena ver.

      Excluir

Faça a gente ficar feliz, deixe seu recado (:

Obs: Se tiver problemas para postar recados, clique em "visualizar" depois de escrever sua mensagem, e então clique em "postar".